O sonho de migrar os dados da sua empresa para a nuvem pode se tornar um pesadelo… Entenda o porquê!

Publicado por Márcio Petito em

Cada vez mais utilizado por empresas de variados segmentos, os serviços em nuvem vêm se destacando por sua acessibilidade, custo-benefício e capacidade de armazenamento de informações a um custo mais acessível, tornando-se uma valiosa ferramenta de trabalho.

Contudo, como qualquer ferramenta de armazenamento, há a necessidade de ponderação e análise prévia antes da tomada de decisão. Pois, embora traga benefícios, o sonho de migração pode se tornar um pesadelo se for realizado de forma aleatória e indiscriminada.

Armazenamento em nuvem é o arquivamento, organização e distribuição de dados derivados de diversos tipos de discos físicos, mantendo em um ambiente que só pode ser acessado pelas pessoas com as respectivas permissões.

Em geral, os fornecedores de serviços Cloud já tomam uma série de medidas e técnicas de proteção dos dados, mas complementos em estratégias para garantir a integridade das informações é fundamental.

Lembrando também que esse tipo de solução – que proporciona o acesso remoto das informações – tem que estar, obrigatoriamente, adequado às normas da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Sem as medidas de segurança, todo esse conteúdo se torna vulnerável a vazamentos, ações criminosas, quebra de sigilo de acesso, perda da disponibilidade das informações e sanções legais – aí vem o pesadelo.

7 cuidados essenciais ao pensar em armazenamento em nuvem

1.    Verifique a confiabilidade do serviço antes de armazenar os dados na nuvem: há serviços gratuitos e pagos. No entanto, também existem diferenças consideráveis entre eles, que atenderá ou não sua demanda e objetivos, da mesma forma que terá que escolher entre as modalidades de nuvem oferecidas.

nuvem pública são espaços geralmente com limite de armazenamento e que compartilham a estrutura com as demais empresas, embora as informações sejam individualmente acessadas.

nuvem privada consiste num espaço contratado exclusivamente para armazenar seus dados, sem compartilhamento com outros usuários e, em geral, com maior capacidade de dados.

Tem também a nuvem mista, englobando a combinação dos dois tipos descritos acima.

 2.    Revise dados armazenados periodicamente: como um dos fundamentos do armazenamento em nuvem é garantir a otimização da gestão dados, realizar revisões e limpezas periódicas nos arquivos armazenados, verificando o que precisa de fato ser mantido na Cloud é uma forma eficaz facilitará a organização das informações.

 3.    Escolha o provedor do serviço Cloud com sabedoria: serviços Cloud tem se destacado no mercado devido ao baixo custo, mas este não é o único fator a se considerar ao escolher um fornecedor.

Para que o sonho em migrar os dados para a nuvem não se torne um pesadelo, um dos fatores fundamentais é escolher uma empresa que esteja realmente engajada com a segurança dos dados, que lhe garanta um suporte eficaz e proativo.

Atentar-se aos termos do contrato também é algo a se analisar com cuidado e parcimônia. Certifique-se que o documento em questão preveja ações de restauração e recuperação de dados e desastres, procurando salvaguardar sempre a continuidade do seu negócio, bem como a gestão do monitoramento da nuvem.

 4.    Backup obrigatório: crucial para qualquer armazenamento de dados na nuvem, podendo ser realizada pelo próprio provedor ou uma parceria especializada, é uma prática que garantirá que as informações estarão disponíveis quando necessário.

Além dos frequentes ataques de hackers, falhas de infraestrutura ou mesmo de usuários podem, independentemente da extensão do incidente, o reestabelecimento dos sistemas e operação dependerão de um sistema de backup eficiente.

5.    Autenticação de dois fatores e criptografia: ferramenta reconhecida por ser mais segura que as senhas, a autenticação de dois fatores potencializa a segurança de arquivos importantes, principalmente os que são acessados frequentemente.

Enquanto a criptografia torna as informações ininteligíveis para pessoas não autorizadas, impedindo que sejam consultados, editados, excluídos, ou mesmo utilizados para fins escusos.

 6.    Inteligência em criar senhas: as ferramentas de autenticação de dois fatores e criptografia não minimizam a importância em utilizar um conjunto de senhas fortes para ampliar a proteção dos dados.

 7.    Utilize sistemas e equipamento corretos: utilize e faça atualizações periódicas de segurança em seu antivírus corporativo, sistema operacional, navegadores, de todos os aplicativos e utilize sempre softwares originais de devidamente licenciados.

Após conferir as dicas, qual avaliação você faz das práticas de segurança da informação da sua empresa? Vocês tomam as precauções necessárias quanto o assunto é armazenamento de dados?

Se sente preparado para conversar sobre serviços na nuvem? Não se esqueça de deixar seu comentário e compartilhar suas dúvidas e experiência conosco!

www.m3solutions.com.br


0 comentário

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CLOSE
CLOSE