Investir em Cibersegurança ou Arcar com os Prejuízos?

Publicado por Márcio Petito em

Por que as empresas não investem em cibersegurança (imagem)

O Brasil tem evoluído muito no que diz respeito à cibersegurança, um exemplo é a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), em vigor. Atualmente, são inúmeros os prejuízos de empresas – tanto do setor privado quanto público – resultado da indisponibilidade de seus sistemas, servidor e operações, pressão em ter que arcar com pagamento de resgate, perda, divulgação de dados sensíveis e a utilização dos seus dados para outros crimes.

Mesmo diante do crescente número de ameaças cibernéticas, casos confirmados de violação de cibersegurança e vazamentos de dados, há um número significativo de empresas que ainda não conseguem mudar a visão sobre investimento em segurança da informação e o retorno que ele proporciona à lucratividade e até mesmo à continuidade do negócio.

Isto fica mais evidente em empresas de médio e pequeno porte, seja por não se julgarem alvos de cibercriminosos, ou pela justificativa de não terem recursos suficientes – já que consideram cibersegurança um custo adicional e não investimento. Sem considerar que não é o tamanho da empresa, ou mesmo o ramo de atividade que a torna alvo deste tipo de criminoso, mas a facilidade que suas vulnerabilidades oferecem.

Com a tecnologia de cibersegurança, além de outros recursos, é possível administrar como os colaboradores utilizam a web, controlar tráfego de dados válidos, priorizar banda larga de acordo com a necessidade, entre outras facilidades. Promovendo, além de segurança, redução de custos, maior produtividade e, consequentemente, lucros.

Você ainda usa estas justificativas para não investir em cibersegurança?

  • É muito caro e minha empresa ainda está começando.
  • Primeiro preciso operacionalizar meu negócio, depois penso em cibersegurança.
  • Cibersegurança é importante, mas é muito complexa… vou deixar para outro momento.
  • Meu sistema está na nuvem, não preciso me preocupar com isso.
  • Minha empresa não trabalha com tecnologia.
  • Meu sistema nunca foi invadido ou infectado, minha empresa não é alvo de cibercriminosos.
  • Implementar uma política de cibersegurança vai travar a produtividade da minha empresa.

Este artigo é principalmente para você que ainda usa estas justificativa cada vez que ouve falar sobre cibersegurança. Que acredita estar evitando que sua empresa tenha que investir em algo que considera supérfluo.

Afinal, qual o problema de usar softwares de segurança doméstica para a minha empresa? Qual o problema em usar softwares não licenciados e desatualizados? Porque preciso fazer backup dos meus dados e qual a importância de criptografar as informações?

Sua empresa não depende da confiança de seus clientes para lucrar e também não possui nenhum dado que seja interessante para fraudes e outros crimes, certo? ERRADO e já conversamos sobre isso em publicações anteriores!

Todas as empresas possuem dados de clientes, fornecedores e colaboradores (documentos pessoais, telefone, endereço, e-mail, dados bancários, etc.). Se, por algum motivo, essas informações forem acessadas por pessoas não autorizadas e mesmo com intenções criminosas, além de sofrer sanções legais, a sua imagem ficará comprometida e terá prejuízos – muitas vezes irreversíveis – para repor os dados perdidos, ou remediar os danos causados.

Na verdade, boa parte do investimento em cibersegurança é revertido produtividade, imagem positiva diante do mercado, redução de custos com manutenção não programada. Evitando a compra emergencial de equipamentos e softwares, pagamento de resgate de dados, perda de clientes, sofrer sanções e pagamento de multas.

Ao reconhecer que investir em segurança da informação não se trata de uma tendência vazia, mas uma estratégia em favor do desenvolvimento e avanço de seus negócios. É fundamental procurar parceria com empresas especializadas em cibersegurança que irão direcioná-los a um investimento inteligente. Detectando, antecipando e mitigando os fatores de riscos, corrigindo os erros e estando em conformidade com as legislações.

É provável que você ainda acredite que os investimentos em cibersegurança são inacessíveis e inviáveis, segundo a realidade financeira de sua empresa. Contudo, muitos se enganam ao realizar um levantamento profissional de suas vulnerabilidades e entender a real necessidade, ou seja, quais são as ferramentas que realmente precisam investir.

Ainda tem dúvidas sobre as necessidades de sua empresa e não sabe quais ferramentas implantar para garantir a segurança e adequação às leis vigentes? Comente suas dúvidas, envie mensagem para conversarmos sobre o assunto, ou envie um e-mail para: comercial@m3solutions.com.br

Gostou do artigo? Qual a realidade que sua empresa vivencia? Que ficar por dentro das melhores informações sobre cibersegurança e tecnologia voltada para eficiência e proteção? Acompanhe nossas publicações!

Nós, da M3Solutions, não medimos esforços para oferecer soluções inteligentes e acessíveis. Nosso maior benefício está na dedicação e comprometimento através de um atendimento por um time altamente qualificado e apaixonado por tecnologia.

Dando continuidade à nossa Campanha de Segurança, a próxima publicação será a divulgação do resultado de nossa enquete. Agradecemos a todos pela participação!

Seja generoso, enriqueça nosso conteúdo com seus comentários!

www.m3solutions.com.br


0 comentário

Deixe uma resposta

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CLOSE
CLOSE